ESPECIAL LIBERTADORES: Com final emocionante, Flamengo conquista título após 38 anos

Clássicos de tirar o fôlego e uma final, de volta a América, reunindo Brasil e Argentina com emoção até o último minuto

Publicado em .

Clássicos de tirar o fôlego e uma final, de volta a América, reunindo Brasil e Argentina com emoção até o último minuto

Campinas, SP, 30 (AFI) – Em 2019, a Copa Libertadores teve cara de Copa Libertadores mesmo. Clássicos de tirar o fôlego e uma final, de volta a América, reunindo Brasil e Argentina com emoção até o último minuto, que culminou no título do Flamengo diante do River Plate.

DESEMPENHO BRASILEIRO

O Brasil conseguiu fazer uma bela fase de grupos. Dos sete times, apenas um não avançou ao mata-mata: o Atlético-MG. Internacional, Cruzeiro, Flamengo e Palmeiras terminaram na liderança e Athletico-PR e Grêmio avançaram em segundo lugar de seus respectivos grupos.

Cruzeiro e Athletico-PR não conseguiram passar das oitavas de final, sendo eliminados por River Plate e Boca Juniros, respectivamente.

Nas quartas, o Flamengo eliminou o Internacional e o Grêmio bateu o Palmeiras.

O Tricolor Gaúcho caiu na semifinal para o Flamengo, que viria a conquistar o título.

CLÁSSICOS

Na fase semifinal, o Flamengo protagonizou um de seus melhores jogos. Após empate como Grêmio por 1 a 1 em Porto Alegre, o Rubro-Negro aplicou uma goleada de 5 a 0 no Maracanã, fora o show. Do outro lado da chave, Boca Junior e River Plate protagonizaram dois caraterísticos jogos deste clássico. O River venceu a primeira partida por 2 a 0 e depois foi derrotado por 1 a 0.

SORTE DOS FINALISTAS

Antes de relembrar a final, vale lembrar uma coisa em comum que uniu River e Flamengo. Os dois contaram com a sorte logo no primeiro confronto do mata-mata. O River encarou o Cruzeiro e, após dois empates sem gols, o time argentino venceu por 4 a 2 nos pênaltis. Uma classificação aqui poderia ter transformado completamente a má temporada do Cruzeiro.

Com o Flamengo, a mesma coisa. Perdeu o primeiro jogo diante do Emelec por 2 a 0 e recuperou no segundo, devolvendo o placar. Nos pênaltis, 4 a 2 para o time carioca. A temporada do Fla seria a mesma sem a classificação e, consequentemente, sem o título?

Palco da grande final foi o Estádio Nacional de Lima, no Peru
Palco da grande final foi o Estádio Nacional de Lima, no Peru
A GRANDE FINAL

A primeira coisa a se destacar da final da Copa Libertadores é que novamente tivemos mudança no local. Por conta de protestos, a primeira final com jogo único da história não foi realizada em Santiago, no Chile. Felizmente, desta vez a Conmebol não inventou de transferir o local para a Europa, como em 2018, quando o segundo jogo entre River e Boca foi feito em Santiago Bernabéu, na Espanha. O jogo aconteceu no Peru, no Estádio Nacional de Lima.

Após um começo atípico do Flamengo, o River conseguiu pressionar e abriu o placar. Depois de sair na frente, o time argentino fez o que sabe de melhor: recuou e focou na marcação, que deu certo até os 43 minutos do segundo tempo, quando Gabriel Barbosa deixou tudo igual. Aos 47, Gabigol marcou novamente e garantiu um título memorável ao Flamengo.