Série B: Guarani tira técnico da aposentadoria na esperança de escapar da degola

Grande desafio do novo técnico é livrar o time da iminente queda para a Série C na próxima temporada

Publicado em .

Grande desafio do novo técnico é livrar o time da iminente queda para a Série C na próxima temporada

Campinas, SP, 28 (AFI) - A diretoria do Guarani ainda não confirmou de forma oficial, mas o técnico Renê Simões, de 66 anos, deve assumir o comando do time para o restante do Campeonato Brasileiro da Série B. O carioca confirmou que vai estar em Campinas, nesta quinta-feira, para ultimar alguns detalhes e assinar contrato. A informação foi dada, com exclusividade, pelo Portal Futebol Interior, ainda na segunda-feira.

Renê Simões aceitou desafio
Renê Simões aceitou desafio

“Nunca poderia dizer não a um clube com a tradição do Guarani. Mas é preciso, antes de qualquer coisa, sentar, conversar e planejar.

O mais importante é trabalho unido e focado num objetivo que, neste caso, é recuperar o time na tabela” – explicou Simões, esperançoso de que tudo termine bem entre ele e os dirigentes.

Na verdade a expectativa era de que ele viesse para Campinas ainda nesta quarta-feira. Mas tinha que resolver a transferência de um imóvel no Rio de Janeiro, onde mora com sua família.

CONVERSAS COM CARTOLAS
Nos últimos dias ele conversou com o presidente Palmeron Mendes Filho e com Ricardo Moisés, novo presidente do Conselho de Administração.

O clube poderia ter um apoio direto de duas empresas parceiras: a Magnum e a ASA Alumínio. Além da nova comissão técnica, o clube promete contratar, pelo menos, de seis a oito reforços.

Desafio é evitar o rebaixamento
Desafio é evitar o rebaixamento

COMISSÃO E NEGATIVAS
Antes do acerto com Simões, o clube confirmou que o experiente Estevam Soares vai ser o novo coordenador de futebol.

Nos últimos dois jogos – América-MG e Londrina - o time foi dirigido de forma interina por Thiago Carpini, auxiliar técnico do clube.

Mas os dirigentes receberam a negativa de vários técnicos para assumir a missão de livrar o time da ameaça de rebaixamento. Entre eles, Jorginho, ex-Ponte Preta, Geninho, ex-Avaí, Gilso Kleina, que preferiu ir para a Ponte Preta e Lisca.

EXPERIENCIA INTERNACIONAL
Renê Simões anunciou a sua aposentadoria em 2017 depois de uma breve passagem pelo Macaé-RJ. Neste período atuou como ‘coach’ e trabalhou até com alguns técnicos conhecidos como Fábio Carille, Jair Ventura, Zé Ricardo e o próprio Jorginho.

Também fez reciclagem em várias partes do mundo e passaria 12 dias no Lyon, da França, em setembro. Um estágio que deverá ser adiado para outra oportunidade, afinal ele aceitou o desafio de evitar a queda do Guarani para a Série C.

Medalha de prata em Atenas
Medalha de prata em Atenas

SELEÇÃO E OLIMPÍADAS
Simões tem larga experiência no futebol, tendo passado por todas as categorias de base da seleção brasileira e tendo, depois, dirigido a seleção feminina vice-campeã olímpica em Atenas, na Grécia, em 2004.

Dirigiu outras seleções do Caribe, como Costa Rica e Honduras, além de ter conseguido levar a modesta Jamaica à Copa do Mundo de 1998, na França – vencida pelo país sede em cima do Brasil. Além de ter passado muitos anos no mundo árabe, em território brasileiro ele comandou dezenas de clubes.