Futebol Interior deu dica e Guarani acertou técnico para tentar 'milagre' na Série B

Depois de Jorginho Campos rejeitar um 'caminhão de dinheiro' por questão ética, a oportunidade ficou com Renê Simões

Publicado em .

Depois de Jorginho Campos rejeitar um 'caminhão de dinheiro' por questão ética, a oportunidade ficou com Renê Simões

Campinas, SP, 27 (AFI) – O Portal FUTEBOL INTERIOR deu um empurrãozinho e a diretoria do Guarani, finalmente, contratou um técnico para a sequência da disputa do Campeonato Brasileiro da Série B. Trata-se de Renê Simões, de 66 anos, que dois anos após anunciar a sua aposentadoria está de volta para trabalhar em campo.

No domingo, com exclusividade, o Futebol Interior, publicou declarações fortes de Renê Simões, que mora no Rio de Janeiro, manifestando o desejo de ser o técnico do time, mas rejeitando a função de coordenador de futebol.

No final, o recado foi bem entendido pelos dirigentes, que nesta tarde de terça-feira acertaram com Estevam Soares para coordenar o futebol e para Renê Simões dirigir o time no lugar de Roberto Fonseca, que antes tinha substituído Vinícius Eutrópio.
Renê Simões com o desafio de livrar queda do Guarani na Série B
Renê Simões com o desafio de livrar queda do Guarani na Série B

NEGOCIAÇÕES INTENSAS
O dia foi de muitos contatos entre o novo presidente do Conselho de Administração, Ricardo Moisés, e Renê Simões.

Tudo aconteceu após a rejeição de Jorginho Campos, ex-Ponte Preta, que por ‘uma questão ética’ recusou uma proposta milionária para assumir o comando do Bugre: R$ 200 mil mensais para a sua comissão técnica e mais R$ 400 mil de prêmio para livrar o time do humilhante rebaixamento à Série C em 2020.

Jorginho Campos: 52% de aproveitamento e ético
Jorginho Campos: 52% de aproveitamento e ético

Jorginho Campos, na verdade, foi demitido de forma injusta pela direção da Ponte Preta. Deixou o clube com 52% de aproveitamento, suficiente para deixar o time entre os quatro primeiros colocados e garantir o acesso à elite no próximo ano.

Em 30 partidas no comando da Macaca entre Paulistão, Copa do Brasil e Série B, Jorginho teve 12 vitórias, 11 empates e 7 derrotas; aproveitamento de 52,2%.

PASSAGEM E ACERTO
Foram cinco conversas durante o dia que acabaram convencendo Simões a encarar este novo desafio na sua carreira. Os detalhes, porém, ainda são desconhecidos. Único fato certo é que o clube vai mandar passagem para ele vir a Campinas nesta quarta-feira e bater o martelo.

“Ainda faltam alguns pontos a serem discutidos” – limitou-se a dizer Renê Simões, deixando a entender que o negócio estaria, digamos, 99% certo. Mesmo porque ele pretende assinar um contrato e ter garantias de recebimento pelo seu trabalho e de sua equipe.

CONTRATAÇÕES
Mesmo tendo assistido a derrota do Guarani para o América-MG, por 3 a 1, no último domingo cedo, Renê Simões elogiou o time, porém, acha que são necessárias algumas peças para fortalecer o elenco.

Esta seria uma das exigências do técnico para , de vez, assumir o comando do time. Seriam de cinco a seis reforços, com jogadores capazes de vir para jogar e não apenas para compor o grupo. Posições e outros detalhes serão, justamente, discutidos no Brinco de Ouro nesta quarta-feira que promete ser de novo movimentada no clube.

Antes do acerto, o clube recebeu a negativa de vários técnicos como Gilson Kleina, Geninho, Lisca e Jorginho.