Alô Ponte Preta: como o Juventude se distanciou, o jeito é vencer o Náutico

Time gaúcho vence Cruzeiro e sobe para 55 pontos. Ficou mais difícil para a Macaca sonhar com 'algo mais'

por ARIOVALDO IZAC - - - Campinas

Foto: Igor Sales
Foto: Igor Sales

Quando o time da Ponte Preta pisar no Estádio Moisés Lucarelli na tarde desde domingo, para enfrentar o Náutico, já sabe que apenas o resultado de vitória lhe dá chances maiores de brigar por vaga de acesso, pois chegaria aos 51 pontos e o seu limite seria de 60 pontos.

Como o Juventude venceu o duelo contra o Cruzeiro por 1 a 0 na noite deste sábado, subiu para 55 pontos, 15 vitórias e saldo positivo de 11 gols nesta Série B do Campeonato Brasileiro.

Assim, se junta ao Cuiabá como os mais credenciados à conquista das duas vagas restantes de acesso, visto que América Mineiro e Chapecoense já estão garantidos.

Logo, a Ponte Preta sabe que uma patinada diante do Náutico será extremamente perigosa.

Derrota seria o atestado do fracasso, pois o limite nos jogos subsequentes contra Chapecoense, CRB e Figueirense seria de 57 pontos, aquém do Cuiabá que já tem 58, e com possibilidade igualmente de ser superada pelo Juventude, que ainda vai enfrentar Avaí, Figueirense e Guarani.

Até o empate será resultado desprezível à Ponte Preta, visto que, a partir dos 49 pontos, o seu limite seria de 58 pontos e projeção de atingir 16 vitórias.

Outro agravante é que hoje a Ponte Preta está negativada no critério saldo de gols, com menos três, critério que pode desfavorecê-la caso tenha que ser aplicado para desempate com outra agremiação.

CSA

O empate entre CSA e Avaí por 1 a 1, em Maceió, foi bem recebido por outros clubes ainda com chances de postular acesso.

O resultado coloca o time alagoano na quinta colocação com 53 pontos, enquanto os catarinenses ficaram com 49.

PIOR PARA O GUARANI

Se havia um restinho de esperança ao Guarani, antes da complementação da 35ª rodada da competição, suas chances se postular acesso foram reduzidas a quase zero.

Como patinou nos 48 pontos, ao sofrer goleada por 4 a 0 para o Cuiabá, seu limite será de 57 pontos na hipótese de vencer os três jogos subsequentes contra Vitória, Avaí e Juventude.

ARIOVALDO IZAC - -
Jornalista esportivo há 35 anos. Trabalhou, como jornalista, nas emissoras de Rádio Brasil, Educadora, Central, Jequitibá e Capital (São Paulo). Nos jornais: Diário do Povo e Jornal de Domingo, ambos de Campinas, e editor de Economia e Opinião do Jornal Todo Dia, de Americana.
Veja perfil completo
Veja todos