Ponte poderia navegar na onda de adaptar posições de jogadores

Grandes clubes dão claros sinais de que é preciso improvisar e ter elencos mais enxutos para não se esbanjar dinheiro

por ARIOVALDO IZAC - - - Campinas

Sequer me recordo de quem recebi vídeo impressionante e imperdível. Logo, antes do parceiro bater os olhos no texto abaixo, pare tudo pra entrar no link abaixo e confira:

https://www.facebook.com/permalink.php?story_fbid=1047347425642377&id=100011013876283&comment_id=1047386225638497¬if_id=1579479105966135¬if_t=feed_comment

Pronto, já que você respirou, vamos à pauta do dia.

NENECA

Este 25 de janeiro marca o quinto ano da morte do goleiro Neneca, do Guarani. Ele é o focalizado na coluna Cadê Você. No áudio Memórias do Futebol, a história é sobre o driblador Denílson Show, que jogou até no Vietnã.

FELIPE MELO

Ao assumir o comando técnico do Palmeiras, o treinador Vanderlei Luxemburgo colocou em prática a proposta de recuar o volante Felipe Mello à quarta-zaga.

Felipe Melo
Felipe Melo

No programa Globo Esporte sábado passado, da TV Globo, fomos informados que o lateral-esquerdo Danilo Avelar, do Corinthians, de recomendável aproveitamento no jogo aéreo, com 1,85m de altura, será fixado na quarta-zaga.

Ganha o Corinthians com qualidade na saída de bola da defesa, sem perda em estatura ao miolo de zaga.

Parceiro Daniel Lessa, da Rádio Brasil, cita que no time de juniores do Inter (RS) o atacante Lucas Mazetti, de 1,71m de altura, foi adaptado à lateral-direita.

Exemplo estão aí aos montes de adaptações de posições de jogadores.

O rápido Gomez, do Liverpool (ING), era lateral-direito e migrou à função de zagueiro central, arrancando com a bola do campo defensivo e mostrando bom passe.

VITINHO E SARAIVA

Na Ponte Preta, ainda não tiveram percepção que o lateral-esquerdo Vitinho, dos juniores, terá rendimento melhor se migrar à quarta-zaga.

É rápido para desarme em confronto de mano com adversários, mas falta-lhe aptidão para atacar.

Logo, pode-se prever pleno encaixe no miolo de zaga, com vantagem de explorar passadas largas na saída de bola. Além disso, tem estatura para sobrevivência no jogo aéreo defensivo.

Ainda na Ponte Preta, o se vê é um otimismo exagerado com o retorno do atacante Felipe Saraiva, principalmente após ter marcado gol na vitória por 2 a 1 no jogo-treino contra o Desportivo Brasil.

JEJUM DE GOLS
Cabe ressaltar que Saraiva passou a temporada passada em jejum de gols no empréstimo ao Botafogo de Ribeirão Preto. E mesmo nas primeiras oportunidades na Ponte, em 2018, raramente balançou as redes adversárias.

Como não se nega as características dele como condutor de bola com rapidez, a projeção natural é que, adaptado como ala pelo lado direito, teria chance de fazer transição em velocidade ao ataque. E como se mostrou disciplinado taticamente na recomposição, pode-se acreditar que assimilaria à função de marcador.

Em síntese, são colocações. Aproveitem se quiserem.

ARIOVALDO IZAC - -
Jornalista esportivo há 35 anos. Trabalhou, como jornalista, nas emissoras de Rádio Brasil, Educadora, Central, Jequitibá e Capital (São Paulo). Nos jornais: Diário do Povo e Jornal de Domingo, ambos de Campinas, e editor de Economia e Opinião do Jornal Todo Dia, de Americana.
Veja perfil completo
Veja todos