Tite cita carinho gremista, volta a falar sobre limitação e critica disputa da cal

Nesta quinta-feira, a seleção brasileira disputa uma vaga na semifinal da Copa América contra Paraguai

por Agência Futebol Interior

Porto Alegre, RS, 26 (AFI) - Atual técnico da seleção brasileira, Tite passagens vencedoras por Internacional e Grêmio, mas citou apenas o Tricolor Gaúcho ao revelar o que espera da torcida nesta quinta-feira, quando o Brasil enfrenta o Paraguai na Arena do Grêmio, pelas quartas de final da Copa América.

"A torcida de Copa do Mundo e de Copa América é diferente. Eles ficam mais na deles. Eu gostaria de ter o carinho que recebi quando treinei o Grêmio. Ficaria muito orgulho, ainda mais se fosse repassado para os atletas", revelou o treinador, em coletiva de imprensa realizado nesta quarta, com a presença in loco da equipe do Portal Futebol Interior.

Tite foi campeão da Copa do Brasil e do Campeonato Gaúcho, em 2001. Já pelo Internacional, o treinador levantou a Copa Sul-Americana, de 2008. Um ano depois, foi campeão estadual e da Copa Suruga.

PÊNALTIS

O treinador chamou a atenção também ao criticar o fato de uma partida ser decisiva nos pênaltis, lembrando que em 2011 e em 2015 a seleção brasileira acabou caindo na disputa da marcada da cal, perante o próprio Paraguai. No jogo de quinta, as cobranças vão acontecer apenas se o duelo terminar empatado

"É uma injustiça um jogo ser decidido nos pênaltis, pois personaliza o sucesso ou o fracasso. Precisamos encontrar um outro formato de determinar o vencedor. Não sei qual, mas acho necessário", explicou.

Tite falou nesta quarta-feira - Lucas Figueiredo/CBF
Tite falou nesta quarta-feira

MUDANÇAS BÁSICAS

Outra polêmica que vem atormentando o treinador desde o empate sem gols da Venezuela é a dificuldade de Tite em conseguir mudar o esquema tático da equipe sem fazer as famosas substituições 'seis por meia dúzia'. Ele garantiu que dificilmente fará alguma alteração muito diferente contra o Paraguai.

"Eu não tenho essa clarividência. Não é meu perfil de treinador. Vejo jogadores da mesma posição com características diferentes para mudar o jogo a nosso favor", concluiu.