Mineiro: Historiador analisa rebaixamento do Villa Nova: 'Pior campanha em 112 anos'

Wagner Augusto Álvares de Freitas é referência sobre o clube de Nova Lima e autor do 'Almanaque do Leão do Bonfim'

por Agência Futebol Interior

Belo Horizonte, MG, 01 (AFI) - O rebaixamento do tradicional Villa Nova no Campeonato Mineiro continua repercutindo. O Portal Futebol Interior traz uma análise do jornalista Wagner Augusto Álvares de Freitas, autor de livros sobre o clube de Nova Lima, entre eles o "Almanaque do Leão do Bonfim", um dos melhores existentes no Brasil.

CONFIRA O TEXTO DE WAGNER AUGUSTO DE FREITAS:

A pior campanha em 112 anos de história jogou o Villa Nova no Módulo II do Campeonato Mineiro. Não vamos nos esquecer dos culpados.

As receitas anuais do Villa Nova são as maiores do Brasil para clubes que estão ranqueados no Campeonato Brasileiro da Série D ou fora de qualquer competição.

Em 2020 já entraram nos cofres do Leão do Bonfim estas receitas:

- R$2 milhões repassados pela Prefeitura de Nova Lima;
- R$1 milhão da Globo Minas;
- R$600 mil do patrocinador master (Multimarcas Consórcios);
- R$120 mil da CBF como ajuda de custo para a disputa da Série D.

TOTAL DE RECEITAS: R$3.720.000,00!

Há o bloqueio de 35% das receitas do clube para o Condomínio de Credores, com o objetivo de pagar dívidas trabalhistas. Então, sobraram R$2.718.000,00 líquidos para serem investidos no clube. Com esse dinheirão, os incompetentes conseguiram montar dois times e elencos fraquíssimos e conquistaram quatro pontos no Campeonato Mineiro, rebaixando o Villa. Vergonha, vexame!