Paulistão: Segundo dirigente, paralisação não muda protocolo do Santo André

Edgard Montemor esclarece que o clube já teria de renegociar com os jogadores para a segunda fase do Paulistão

por Agência Futebol Interior

Santo André, SP, 09 (AFI) – Muitos clubes do interior se preocupam com a possibilidade de perder os principais jogadores quando o Campeonato Paulista retornar, mas o Santo André, dono da melhor campanha na competição até agora adotou discurso mais tranquilo através de seu executivo de futebol Edgard Montemor.

Segundo o dirigente, o clube já tem o costume de fazer os contratos com os jogadores apenas para a primeira fase e, em caso de classificação para o mata-mata, iria negociar individualmente a extensão do vínculo.

“Caso não tivesse acontecido todo esse problema em relação ao coronavírus, o Santo André iria sentar com cada um dos atletas e renovar os contratos para a segunda fase, correndo o risco de ter um ou outro que não quisesse jogar uma provável quartas de final contra o Palmeiras”, explicou.

“É um protocolo do Santo André, não foi só esse ano. Eles normalmente fazem os contratos até o fim da primeira fase e deixam para renovar depois, caso passe para a segunda. É um protocolo do Santo André”, concluiu.

Assim, o planejamento em 2020 não vai fugir muito ao que já era planejado. Com boa campanha, o Ramalhão deve disputar a segunda fase, caso a competição volte a ser disputada, e vai renegociar os contratos.