Técnico do Santo André admite surpresa com contratos de atletas: 'Sem conhecimento'

A maior parte do elenco do Ramalhão, líder do Paulistão, tinha vínculo até o começo de abril

por Agência Futebol Interior

Santo André, SP, 17 (AFI) - O fim dos contratos assombra a maior parte dos clubes do interior durante paralisação do Campeonato Paulista em decorrência da pandemia do novo coronavírus.

Com o Santo André, líder na classificação geral, não é diferente. Sem entrar em campo há um mês, Ramalhão é um dos principais times prejudicados neste quesito burocrático e vive cenário nebuloso em relação à reorganização do plantel.

Paulo Roberto Santos em treinamento durante a pré-temporada
Paulo Roberto Santos em treinamento durante a pré-temporada

Dos atletas contratos pela diretoria, 19 já estão sem acordo, com prazo final entre os dias 07 e 10 de abril. Se a conta for alongada até o fim do mês, o número salta para 21 entre os 26 nomes à disposição do técnico Paulo Roberto Santos.

"Eu tinha ciência que os contratos seriam feitos até abril, quando a competição se encerra. Eu não tinha muito conhecimento em relação à data. Depois, nós ficamos sabendo que as datas não coincidiam muito. Alguns terminariam contratos no dia 07 e outros no dia 10", lamentou o comandante andreense, em entrevista ao programa 'Balançando a Rede', na Rádio Futebol Interior.

"É mais ou menos por aí. Eu não sabia com relação ao encerramento do contrato de todo grupo. Eu sabia que os vínculos seriam feitos até o mês de abril", acrescentou.

COMO FICA?

Um dos comandantes de maior destaque neste Paulistão, até pela campanha surpreendente à frente do Santo André, Paulo Roberto ainda deu detalhes de sua pendência contratual com o clube.

"O meu contrato foi feito de uma forma bem clara. O acordo encerra-se após o término da participação do Santo André no Campeonato Paulista. Isso quer dizer que o meu vínculo ainda está em vigor", finalizou.