Pernambucano: Agora pelo Santa Cruz, ex-Guarani espera repetir acesso na Série C

Titular absoluto do Bugre em 2017, Genílson diz que todo jogo tem que ser encarado como uma decisão

por Agência Futebol Interior

Recife, PE, 07 - O zagueiro Genílson foi apresentado oficialmente na última sexta (05), antes do treinamento da tarde, em Aldeia. O jogador destaca sua experiência na Série C do Campeonato Brasileiro, principal objetivo do Santa Cruz para temporada 2018. Tendo disputado três vezes referente competição, o zagueiro conquistou o acesso com o Guarani em 2016.

“Em 2016, tivemos um ano muito bom no Guarani. Cheguei no meio da Série C e o grupo já estava bem formado. Havia muita desconfiança e conseguimos superar tudo. Conseguimos uma virada incrível, perdendo o primeiro jogo das quartas por 4×1. Depois, em casa, fizemos 6 e garantimos o acesso. No Fortaleza, passamos muito perto duas vezes, mas não veio. Acredito que o mais importante na Série C é jogar a competição. É entender que vai enfrentar campo ruim, torcida no ouvido, jogos difíceis. E se manter sempre lutando, motivado. Realmente jogar todos os jogos com o maior foco”, afirmou Genílson, em entrevista ao site oficial do clube.

Genílson vai defender o Santa Cruz em 2018 (Foto: Tiago Freitas / Santa Cruz)
Genílson vai defender o Santa Cruz em 2018 (Foto: Tiago Freitas / Santa Cruz)

PARA CELEBRAR
O zagueiro vem de um ano bastante positivo, após disputar a Série B 2017 pelo Guarani e ser titular absoluto da equipe.

O time do interior paulista chegou a ficar entre os primeiros colocados durante quase todo o primeiro turno, mas acabou perdendo fôlego na reta final.

“Isso que falo de jogar a competição. Com o Guarani, não conseguimos o acesso para a elite do futebol paulista porque não jogamos o campeonato do jeito que deveríamos. Aí, no início da Série B, entendemos isso e passamos a fazer o que precisávamos. Mas, de novo, na reta final, tivemos o mesmo problema do Estadual e relaxamos. É o que não podemos deixar acontecer no Santa Cruz. Todo jogo tem que ser encarado com espírito de decisão, de raça, de chegar junto e lutar”, destacou.

QUALIDADES
O atleta falou, também, sobre as suas características e sobre a briga sadia por uma vaga no time titular. Para o setor da zaga, além de Genílson, o Santa Cruz conta com Augusto, Renato Silveira e Lucão.

“Sou um zagueiro bastante técnico, gosto de sair jogando com qualidade, não sou muito de usar o recurso do chutão. Mas, se precisar dar carrinho, marcar em cima, intimidar o adversário, eu também faço. Lógico, dentro das regras do jogo e sem prejudicar o clube. Sobre a concorrência, é natural. Ouvi falar muito bem do professor Júnior Rocha e vim para o Santa Cruz por conta dele. E, claro, por conta da tradição do clube e da força da torcida. E o professor Júnior sempre nos passa que vai atuar quem estiver melhor, que ninguém tem vaga de titular garantida”, encerrou.

 
 
" />