Doriva e Antônio Carlos Zago são as opções na Ponte Preta

A diretoria espera definir quem será o substituto de Eduardo Baptista para iniciar a reformulação no elenco

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 13 (AFI) - Livre do rebaixamento no Campeonato Paulista, a Ponte Preta agora foca suas atenções para a disputa da Série B do Brasileiro, mesmo tendo o Troféu do Interior pela frente. A prioridade da diretoria é a contratação de um novo treinador para o lugar de Eduardo Baptista, demitido na semana passada. Doriva e Antônio Carlos Zago são as principais opções.

Dos dois, quem está mais próximo de ser contratado é um velho conhecido da torcida. Em 2015, Doriva assumiu a Ponte Preta durante o Brasileirão e ficou menos de dois meses no cargo, com um aproveitamento de 51,11%. Em 15 jogos sob seu comando, a Macaca conquistou seis vitórias, cinco empates e quatro derrotas. O treinador pediu para ser liberado após ter recebido uma proposta do São Paulo, onde também ficou pouco tempo devido aos resultados ruins.

O técnico Doriva pode retornar ao Moisés Lucarelli depois de três anos
O técnico Doriva pode retornar ao Moisés Lucarelli depois de três anos

No entanto, Doriva está trabalhando no Novorizontino e as conversas só poderiam ser concretizadas assim que o time de Novo Horizonte ser eliminado no Paulistão. O Tigre disputa uma vaga na semifinal com o Palmeiras. O primeiro jogo das quartas será neste final de semana e o segundo, em São Paulo, na próxima terça-feira.

Doriva tem 45 anos e como jogador passou por vários clubes, mas se destacou mesmo no São Paulo, onde conquistou o Brasileirão de 91, a Libertadores e o Mundial de Clubes, ambos em 93. Defendeu ainda XV de Piracicaba, Atlético-MG, Porto-POR, Sampdoria-ITA, Celta de Vigo-ESP, Middlesbrough-ING e Mirassol, além da Seleção Brasileira.

Após encerrar a carreira em 2007, Doriva iniciou a carreira de treinador em 2013 no Ituano e, no ano seguinte, conquistou o Paulistão. Depois, passou ainda por Atlético-PR, Vasco da Gama, Ponte Preta, São Paulo, Bahia, Santa Cruz e Atlético-GO até chegar ao Novorizontino.

OUTRA OPÇÃO

Quem corre por fora é Antônio Carlos Zago. Sem clube desde que deixou o Juventude no final de fevereiro após a eliminação na Copa do Brasil para o Avaí, o treinador de 48 anos é visto com bons olhos por membros da diretoria, mas seu salário precisaria ser enquadrado dentro da realidade financeira da Ponte Preta.

Zagueiro com passagens por São Paulo, Palmeiras, Kashiwa Reysol-JAP, Corinthians, Roma-ITA, Besiktas-TUR, Santos e Juventude, Antônio Carlos Zago atuou com Doriva no Tricolor, onde conquistou o Brasileirão de 91 e no ano seguinte foi campeão da Libertadores. No entanto, foi com a camisa da Roma-ITA que viveu seus melhores momentos.

Pendurou as chuteiras em 2007 no Santos e dois anos depois iniciou a carreira de treinador no São Caetano. Passou ainda por Palmeiras, Grêmio Barueri, Mogi Mirim, Vila Nova, Audax, Juventude, Internacional e Fortaleza.

 
 
" />