PARANAENSE: Após devolver derrota, reservas do Furacão são campeões nos pênaltis

Bicampeão com os aspirantes - Time B - mas o Toledo valorizou e mereceu o vice-título estadual

por Agência Futebol Interior

Curitiba, PR, 21 (AFI) – O campeão paranaense de 2019 saiu na cobrança de pênaltis. Após a vitória do Athletico por 1 a 0 no tempo normal, devolvendo o placar na cidade do Interior, a definição saiu mesmo nas penalidades. O Athletico levou a melhor, ganhando por 6 a 5, conquistando seu 25.º título estadual, ainda bem atrás do rival Coritiba, com 38 conquistas.

Nas penalidades, as cinco cobranças de cada lado foram confirmadas. A sexta foi chutada por Adriano, do Toledo, e o goleiro Léo defendeu com os pés. Depois disso, Khellven bateu firme e confirmou a vitória e o título.

As cinco cobranças certas do Toledo foram chutadas por Revson, Jonathan, Léo Teles, Guilherme Rend e Júlio Pacato. Do lado atleticano, acertaram as cinco primeiras cobranças: Bergeson, Gabriel Poveda, Lucas Halter, Matheus Anjos e Marquinho.

RÁDIO CIDADE 670 AM
O Portal Futebol Interior acompanhou este jogo pela Rádio Cidade 670 AM com o experiente Edemar Annuseck, comentários de Capitão Hidalgo e reportagens de Henrique Muller.

CONFIRA A COBERTURA COMPLETA DAS FINAIS DOS ESTADUAIS !

PRESSÃO E GOL
O Athletico começou a todo o vapor pra abrir o placar logo. Não demorou, meio que sem querer. Aos cinco minutos, quando Bergson foi puxado na meia lua da grande área. Na cobrança, Matheus Rossetto bateu forte, a bola desviou na barreira e ainda tocou na trave esquerda antes de entrar. Aos seis minutos, 1 a 0.

Khellvin cobra último pênalti e festeja. Foto: Miguel Locatelli - Oficial CAP
Khellvin cobra último pênalti e festeja. Foto: Miguel Locatelli - Oficial CAP
A vantagem dava a impressão de que o Furacão iria logo tirar a diferença sofrida no primeiro jogo. Mas não foi o que aconteceu. Os jogadores confundiram velocidade com pressa e não criou chances reais.


O goleiro André Luiz fez duas boas defesas e mostrou qualidades. Tanto que é reforço do Operário-PR na Série B do Brasileiro. A melhor delas saiu aos 42 minutos, quando após cobrança de escanteio o meia Erick cabeceou e a bola tocou no travessão. Apesar do volume (68% contra 32%), o Furacão não ampliou a vantagem.

MAIS PRESSÃO

No segundo tempo, o rubro-negro voltou disposto a liquidar a fatura logo nos primeiros minutos. Aos nove minutos, o Toledo, apelidado de Porco, assustou quando Revson armou a jogada e Eduardinho chutou forte, porém, para fora.

Sem chances de infiltrações, o Athletico começou arriscar a finalizações de longa distância. Só na última parte do jogo é que voltou a criar chances reais. Aos 32 minutos, após escanteio, Lucas Halter fica quase debaixo no gol e cabeceia, mas na trave. Perdeu um gol feito, daqueles incríveis.

Quem assustou depois foi o Toledo, que aos 35 minutos arriscou um chute de longe com Revson. Mas a bola saiu perto. Com o goleiro André Luiz mostrando segurança, o Toledo abandonou a chance de atacar para tentar segurar o placar mínimo e levar a decisão do título para os pênaltis.