Nacional 1 x 0 Marília - MAC azarado, Naça letal e perto dos líderes

MAC desperdiça 'caminhão' de gols, tem atleta expulso e vê Naça, com gol de Jefferson, se reabilitar e encostar nos líderes

por Agência Futebol Interior

São Paulo, SP, 18 (AFI) - Depois de duas partidas sem vencer, o Nacional, sem apresentar um grande futebol, reencontrou o caminho da vitória na tarde deste sábado, quando derrotou o Marília por 1 a 0, em casa, no Nicolau Alayon e, com isso, entrou no G4 da Série A3 do Campeonato Paulista, mesmo que temporariamente.

Foi, sem dúvida, uma boa tarde de sábado para o Naça, já que fazer sua parte em casa, contou com a derrota do Grêmio Osasco - adversário direto na briga pelas primeiras posições - diante do Taboão da Serra para subir quatro posições e assumir a 4ª colocação na tabela, agora, com 21 pontos. O Tigrão, por sua vez, segue oscilando muito na competição e, assim, além de não conseguir entrar no G8, caiu uma posição e agora é o 13º, com 17 pontos.

Naça Letal e com sorte

O que se viu na primeira parte dos 45 minutos iniciais no Nicolau Alayon foi uma partida estudada, truncada, e o que gerou equilíbrio em campo. Depois dos 30 minutos que os times saíram arriscaram mais e aí que a partida ganhou mais emoção. O Marília, mesmo fora de casa, em busca de dar fim à oscilação no torneio, foi à frente antes e teve boas chances de marcar.

Mas não o fez e, aos 44 minutos da etapa inicial, foi castigado com o gol de Jefferson, que, livre, recebeu bom passe dentro da área e cabeceou com estilo para abrir o placar a favor do Naça na capital paulista.

Cirúrgico, Naça voltou a vencer e encostou nos lideres da A3
Cirúrgico, Naça voltou a vencer e encostou nos lideres da A3

Quando o empate do Marília parecia estar iminente, as coisas, que podiam melhorar, complicaram de vez. O meia Léo Franco, em vez de tentar seguir na jogada, se atirou dentro da área e simulou pênalti. O árbitro não 'engoliu' a simulação e deu cartão amarelo ao meia. Como já tinha outro amarelo, foi expulso aos 8 minutos da etapa final. Foi a terceira expulsão do MAC na Série A3 do Paulista. Por reclamação, o técnico Luciano Quadros também foi expulso de campo.

Não dá pra dizer que faltou vontade e entrega aos jogadores do Marília. Antes da expulsão, aliás, o time até mostrou organização e teve boas chances de abrir o placar, e, depois de sofrer o gol, no final do primeiro tempo, também teve oportunidades de empatar.

Faltou sorte

Mesmo com um a menos, o time de Marília foi para o tudo ou nada no final da partida e, se não fosse a falta de sorte aliada À má pontaria dos jogadores do MAC, poderia ter saído, ao menos, com um ponto de São Paulo. Foram dois lances muito parecidos, oriundos de escanteios. Em ambas as situações, o goleiro Felipe saiu mal da meta e Alessandro Lopes, na primeira tentativa, e Eduardo, na segunda, cabecearam a bola que passou muito rente à trave do Naça.

Se os dois lances foram impressionantes, ainda houve tempo de, no apagar das luzes, nos acréscimos, a bola, alçada à área, ser chutada por Du Gaia, artilheiro da competição, na trave do goleiro Felipe e voltar para o mesmo chutar para fora a última chance do MAC na partida.

Próximos jogos

Em busca da 2ª vitória consecutiva, o Nacional volta a campo pela 13ª rodada da Série A3 do Campeonato Paulista na próxima quarta-feira, diante do Noroeste, no Alfredo Castilho, em Bauru. Na mesma quarta-feira, o Marília tenta melhor sorte contra o Grêmio Osasco, no José Liberatti, em Osasco.

Ficha Técnica

Fase
Primeira Fase
Rodada
12ª rodada
Data
18/03/2017
Horário
15h00
Local
Nicolau Alayon - São Paulo (SP)
Árbitro
Cézar Luis de Oliveira

Renda
R$ 3000,00
Assistentes
Alexandre de Oliveira e João Petrucio Marimônio de Jesus dos Santos

Público
253 presentes
Cartões Vermelhos
Marília: Léo Franco
Gols
Nacional: Jefferson 44' 1T
Nacional
Felipe;
Negueba, Rodrigo, Jefferson e Felipe Silva (Douglas);
Murilo, Everton, Hayllan (Luciano) Emerson Mi e Jobson (Thiaguinho); Léo Castro.
Técnico: Alex Alves
Marília
Éder;
Marlon Cola, Alessandro Lopes, Eduardo Grasson e Valmir (Diego Salles);
Juninho Ortega, Wallace Rato, Léo Franco e Mateus Marcondele;
Gilberto Trindade (Du Gaia) e Borebi.
Técnico: Luciano Quadros