Ex-atacante do Athletico, ex-treinador do Coritiba deixa time da Segundona Paranaense

"O técnico Eriélton Carlos Pacheco, o Pachequinho, e o diretor de futebol Augusto Moura não permanecerão", escreveu o Maringá FC

por Agência Futebol Interior

Maringá, PR, 29 (AFI) - A pandemia causada pela covid-19, o novo coronavírus, segue atingindo clubes de futebol. Nesta segunda-feira, o Maringá FC confirmou a saída do técnico Pachequinho e do diretor de futebol Augusto Moura.

O Tricolor contratou o comandante no começo de dezembro do ano passado, visando o acesso na Segundona Paranaense rumo ao 'Paranaensezão', do qual foi rebaixado na temporada passada. A competição estava programada para começar em abril, mas foi adiada e não tem nova data.

 Pachequinho (Foto: Assessoria MFC)
Pachequinho (Foto: Assessoria MFC)
MAIS SOBRE ELE
Natural de Ponta Grossa, Pachequinho tem 49 anos e atuava como atacante na sua época de jogador. Apesar de ter passagens por Bahia, Athletico-PR, Matonense, Paraná e Criciúma, ele fez história no Coritiba, onde se tornou um dos ídolos da torcida.

Depois de pendurar as chuteiras, Pachequinho começou treinando as categorias de base do Coritiba até se tornar auxiliar-técnico fixo do clube em 2012, assumindo a função de treinador interino em algumas ocasiões.

Em 2017, Pachequinho foi efetivado e se sagrou campeão do Campeonato Paranaense, deixando o Coritiba na 15ª rodada do Brasileirão. Depois, ele passou por América-RN, em 2018, e, em 2019, teve uma rápida passagem pela Anapolina-GO.

CONFIRA A NOTA OFICIAL DO MARINGÁ
O Maringá Futebol Clube vem por meio desta, comunicar que devido ao agravamento da crise econômica causada pelo coronavírus, o técnico Eriélton Carlos Pacheco, o Pachequinho, e o diretor de futebol Augusto Moura não permanecerão no quadro de colaboradores do clube.

Infelizmente, como já mencionado anteriormente em carta publicada, a pandemia causada pelo COVID-19 afetou drasticamente a nossa economia, culminando em uma queda considerável de receitas.

No início da pandemia, medidas de reduções foram propostas e aceitas pelos profissionais, mas após mais de 90 dias de paralisação e queda ainda maior de receitas, as mesmas não foram possíveis de manutenção, inviabilizando assim, a permanência para sequência da temporada.

Desde já agradecemos o profissionalismo e a contribuição pelo trabalho realizado, tanto do Eriélton Carlos Pacheco, como do Augusto Moura, que agregaram muito ao clube e ao projeto ao longo desses meses.

Nossa pré-temporada iniciou no dia 17 de fevereiro, mas no dia 17 de março suspendemos os trabalhos por conta da pandemia. No último dia 17 de junho, completamos 90 dias sem atividades e até o momento, a competição que estava prevista para iniciar no dia 5 de abril e finalizar em 26 de julho, não tem nova data definida para ser realizada.

Acreditamos que a saúde financeira de um clube de futebol é fundamental para sua estabilidade e projeção no cenário traçado. Por isso, devido à crise instalada em nossa sociedade, fomos obrigados a adequar todo o nosso planejamento financeiro de 2020 para a nova realidade de receitas.

Ainda aguardamos uma posição oficial da Federação Paranaense de Futebol para retomarmos nossas atividades e buscarmos as melhores soluções para a atual realidade do clube.

A diretoria do MFC, a partir de hoje, estará buscando um novo treinador para a disputa do Campeonato Paranaense 2020 Série B e o profissional será anunciado assim que a Federação Paranaense remarcar a data de início da competição.