Após polêmica, Goiás desiste de renovar com lateral acusado de ser 'gato'

Após polêmica envolvendo Ernandes, diretoria avaliou que não há 'mais clima' para manter o atleta no grupo

por Agência Futebol Interior

Goiânia, GO, 05 (AFI) - O Goiás decidiu que não renovará o contrato do lateral-esquerdo Ernandes. A princípio, a diretoria considerava a possibilidade de estender o vínculo, que se encerra nesta quinta-feira, mas mudou de ideia após o jogador ter sido acusado de ter falsificado a idade em documentos oficiais. A suspeita levantou a possibilidade de que o Esmeraldino fosse punido com a perda de pontos na Série B, mas o clube está seguro de que isso não acontecerá.

O técnico Maurício Barbieri entregou uma lista com nomes que gostaria de manter entre os jogadores do atual elenco e incluiu Ernandes. Com a suspeita de adulteração, o treinador teve que abrir mão do desejo, uma vez que a diretoria avaliou que “não há clima” para mantê-lo no elenco.

Apesar da convicção de que não receberá nenhuma punição, o Goiás sabe que o jogador está sujeito a levar um gancho caso seja provada a fraude na documentação. Diante deste cenário, o time não quer renovar com um atleta que pode ser proibido de atuar por um longo tempo.

Foto: Rosiron Rodrigues / Goiás EC
Foto: Rosiron Rodrigues / Goiás EC
O CASO
Conforme denúncia, Ernandes teria duas certidões de nascimento, uma de 1985 e outra de 1987, o que comprovaria uma suposta irregularidade na inscrição do atleta. Só ele atua com esses documentos adulterados desde 2006, quando começou profissionalmente no Ferroviário-CE, e o STJD entende que não há ‘vantagem esportiva’

Como a Série B não tem limite de idade para inscrever jogadores, o Goiás não teria nenhum benefício desportivo e por isso seria apenas ‘vítima’ de toda a situação. Ainda assim, a Ponte Preta, que terminou em quinto lugar na Série B, entende que o clube goiano tem responsabilidade de conferir os documentos do atleta antes de inscrevê-lo no Boletim Informativo Diário (BID) e promete ir até as últimas consequências para brigar pelo acesso nos tribunais.

 
 
" />