Presidente do Fortaleza não vê Ceni como 'solução' e nega salários atrasados

O Fortaleza é o 16º colocado, com 32 pontos, três a mais do que o Bahia, dentro da zona da degola

por Agência Futebol Interior

Fortaleza, CE, 19 (AFI) - O presidente Marcelo Paz resolveu falar sobre a situação do Fortaleza, que luta contra o rebaixamento nesta reta final de Campeonato Brasileiro. O mandatário negou falta de planejamento por causa da saída de Rogério Ceni para o Flamengo e lembrou que o clube é maior do que qualquer jogador ou treinador.

"Querer atribuir ao Ceni a gestão do clube ou é irresponsabilidade ou é maldade. Atinge todos os funcionários, jogadores, diretores. O Ceni é um cara que tem uma história sensacional no clube.

Ele fez bem ao Fortaleza. Mas o Fortaleza também fez muito bem a ele. Dizer que acabou a gestão porque o Ceni saiu ou é maldade ou é falta de conhecimento.

Ele está na história do clube, gratidão. São 102 anos de história, o clube não é dependente de ninguém", disse Marcelo Paz, em live nesta terça-feira.

CENI ANALISA VITÓRIA DO MENGO SOBRE O GOIÁS

GRANDE ESTRUTURA

"Saímos de um "vai morrer na Série C" para "sou campeão nacional", com a marca conhecida internacionalmente. Olha a transformação do Fortaleza, do Pici. Todo mundo que chega no CT, que ninguém nem pisava, fala na estrutura.

Temos nove lojas, quase 300 funcionários. Isso é evolução da gestão patrimonial. Não se apaga. Isso mostra que a gente teve resultado esportivo com crescimento estrutura", completou.

Marcelo Paz falou sobre situação do Fortaleza
Marcelo Paz falou sobre situação do Fortaleza

SALÁRIOS!
O presidente ainda negou que os salários estejam atrasados no Fortaleza, revelou problemas com a pandemia e ressaltou a força do 'bicho', bonificações conquistadas por resultados.

"Em 2019, pagamos tanto "bicho" que vocês não têm nem ideia. Isso está no planejamento do clube. Premiação faz parte do futebol, está na nossa cultura. De onde vai vir o dinheiro? Da premiação do fim do campeonato.

Salário atrasado? Não é. Clube perdeu R$ 25 milhões com a pandemia. O problema não é salário atrasado. E o "bicho" acertado. Agora quem quiser ajudar é bem-vindo. Se vocês quiserem ajudar, a gente dá a mais."