Podendo levar gancho de 36 jogos, Alemão acusa árbitro de chamá-lo para briga

Julgamento precisou ser adiado após queda de conexão da internet na videoconferência

por Agência Futebol Interior

Florianópolis, SC, 28 (AFI) - O árbitro Rafael Traci negou que tenha chamado o zagueiro Alemão para briga durante discussão no clássico entre Figueirense e Avaí em 29 de setembro pela 12ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. O defensor do Figueirense iria a julgamento nesta quarta-feira, mas a queda de conexão da internet adiou a videoconferência.

"Ele (Alemão) pode dizer o que ele quiser. A atitude dele foi vista por todos. Jamais iria chamar alguém para a briga. Ridícula essa acusação por parte dele. Você acha que eu teria algum tempo de dizer algo? Não, né. Ele quer diminuir o que ele fez me acusando. Aí é golpe baixo. Ele tem que assumir o que fez. Todos nós somos homens e adultos o suficiente. Estou muito tranquilo em relação a isso", disse Traci à rádio CBN Diário.

Rafael Traci nega acusação de Alemão. (Foto: Cesar Greco)
Rafael Traci nega acusação de Alemão. (Foto: Cesar Greco)

LEITURA LABIAL!
A defesa de Alemão mostrou um vídeo com leitura labial em que o árbitro teria dito: "Vem! Vem! Vem, dá na minha cara". O zagueiro pode ser punido com até 36 jogos de suspensão pela 3ª Comissão Disciplinar do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD).

"A todo momento ele me dizia "vem para cima, me dá cabeçada". Eu sou um ser humano e estava em um momento de nervosismo. Eu fiquei de frente para ele, cara a cara, e não agredi em momento algum. Sequer peitei ele. O que eu queria, a todo momento, era chamar a atenção dele para a falta não marcada", disse Alemão antes da videoconferência ser adiada para 4 de novembro por causa da conexão.

Alemão acusa Traci. (Foto: Patrick Floriani/FFC)
Alemão acusa Traci. (Foto: Patrick Floriani/FFC)

SÚMULA PESADA!
Segundo a súmula do árbitro Rafael Traci, Alemão tentou agredí-lo após ser expulso. No clássico, o zagueiro do Figueirense recebeu cartão amarelo por reclamação e, como continuou a reclamar e a gesticular, acabou expulso.

"Após ser advertido com o cartão amarelo, o referido jogador me deu uma peitada, sendo expulso de forma direta. Ato contínuo, veio novamente pra cima desferindo uma cabeçada e peitando novamente.

Após isso, atletas de sua equipe o seguraram, porém a todo momento queria vir novamente para cima. Depois de um tempo, retirou-se do gramado. Em todo este momento, ficando dizendo: "seu filho da p..., safado, tira a camisa deles de baixo, vagabundo", diz a súmula da partida.

DESCULPAS!
"Eu errei pela conduta, reconheço. Mas foi em razão da circunstâncias. Estamos na zona de rebaixamento e precisamos pontuar. Explodi no momento e sei que fui errado, mas estou aqui presente me defendendo. Eu fui cobrá-lo pelo erro dele. O árbitro passa pelo nosso jogador machucado, mas ignora. Ele ficou receoso em voltar atrás, pois percebeu que errou", completou Alemão.

Ele foi incluído em quatro artigos do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD): 243-F, por ofender alguém; 254-A (duas vezes), por praticar agressão física durante a partida; 258, por assumir conduta contrária à disciplina ou ética desportiva do CBJD; e 184, por praticar duas ou mais infrações.