Barcelona x Real Madrid é adiado após de manifestações na Catalunha

De acordo com a Federação Espanhola, os clubes afetados terão que entrar em acordo para definir a nova data

por Agência Estado

Campinas, SP, 18 - A Real Federação Espanhola de Futebol anunciou nesta sexta-feira que o clássico entre Barcelona e Real Madrid, marcado para o dia 26 de outubro, pela 10ª rodada do Campeonato Espanhol, foi adiado.

O motivo são as diversas manifestações que estão ocorrendo na cidade da Catalunha nos últimos dias.

Inicialmente, chegou-se a cogitar a possibilidade de inversão de mando. Ou seja, a partida seria realizada no estádio Santiago Bernabéu e, no segundo turno, seria disputada no Camp Nou. Mas a ideia não foi adiante porque o regulamento da competição não permite tal manobra.

E AGORA?

De acordo com a federação espanhola, os clubes afetados terão que entrar em um acordo para definir a nova data.

Clássico entre Barcelona e Real Madrid não será mais em 26 de outubro
Clássico entre Barcelona e Real Madrid não será mais em 26 de outubro

Como o jogo não pode ser em Madri, uma solução seria disputar a partida em uma outra cidade, fora da Catalunha, ou até em outro país. Entretanto, a ideia não está nos planos do Barcelona neste momento.

O clube espera que a situação na região se normalize nos próximos dias. Os dois times ainda não se manifestaram sobre a decisão.

CRISE POLÍTICA

Já são quatro dias de protestos e manifestações na Catalunha. Os protestos tiveram início após a condenação de líderes separatistas catalães.

As principais ruas da cidade foram bloqueadas e os serviços de trens urbanos e do metrô foram interrompidos. A polícia reprimiu com violência as manifestações.

O caos começou assim que o Tribunal Supremo da Espanha condenou nove líderes separatistas a penas de prisão que variam de 9 a 13 anos por sedição em razão do referendo de outubro de 2017, realizado apesar de uma proibição do governo em Madri.

Outros três réus foram considerados culpados de desobediência e não receberam penas de prisão.

As sentenças foram consideradas pesadas. O ex-vice-governador catalão Oriol Junqueras recebeu pena de 13 anos de cadeia, a maior entre os separatistas. Ele afirmou que o movimento voltará mais forte.

"Voltaremos e voltaremos mais fortes. Não tenham nenhuma dúvida, voltaremos e venceremos", afirmou Junqueras, em carta escrita na prisão e publicada pelo partido Esquerda Republicana da Catalunha (ERC).