Bom trabalho de brasileiro abre portas para técnicos na América Central

Com essa nova experiência, o treinador espera realizar uma grande Eliminatória, visando vaga na Copa do Mundo

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 24 (AFI) - O confronto das Eliminatórias Concacaf da Copa do Mundo do Qatar 2022 teve algumas alterações: o jogo entre Seleção Trinidad e Tobago diante da Seleção Guyana, que vai ser realizado no dia 25 de março, estava marcado para República da Ilhas Gêmeas e agora será disputado na República Dominicana.

PORTAS ABERTAS

Enquanto isso, a Seleção de Guyana, que tem no seu comando o técnico brasileiro Márcio Máximo continua seus treinamentos e vem realizando uma grande reformulação, dando oportunidades aos jovens atletas que atuam em seu país, juntamente com outros atletas que jogam no Exterior. Com essa nova experiência, o treinador espera realizar uma grande Eliminatória, visando vaga na Copa do Mundo no Qatar em 2022.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

O grande trabalho realizado por Márcio Maximo tem como objetivo também abrir portas para novos treinadores no mercado central. Essa tradição começou em 1994, com o brasileiro Renê Simões, que realizou um grande trabalho na Seleção da Jamaica, que pela primeira vez na sua história disputou uma copa do Mundo, a de 1998, na França.

"O trabalho do Renê Simões foi fundamental para que pudesse abrir portas para técnicos brasileiros e eu tenho realizado este trabalho com Seleção da Guyana com o grande objetivo de uma classificação para Copa do Mundo do Qatar. Conseguimos a classificação para a Gold Cup, que equivale a Copa América, pela segunda vez na história, porém dessa vez, com 60% de jogadores locais, desenvolvendo o futebol local e 40 % do exterior, principalmente vindos da Liga Inglesa."

"Isso nos dá uma experiência grande, porque além de crescermos os locais, principalmente os mais jovens, mantemos o alto índice de competitividade com os jogadores internacionais, isso envolve desde o modelo de jogo adequado até o nível de intensidade de jogo da equipe", disse o treinador.

MERCADO

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
O ótimo trabalho do treinador, juntamente com seu auxiliar Wilson Toledo, tem repercutido positivamente na Seleção de Guyana, aumentando o interesse em profissionais brasileiros naquela região.

O objetivo do treinador é recuperar o mercado brasileiro, não somente na região central, mas no mundo todo de uma forma geral.

"Agora, com a garantia da segunda participação na Gold Cup, melhora da nossa estrutura (Arena e CT sendo construídos), Eliminatórias da Copa do Mundo (com chances de passar para o grupo final, que garante vaga na Copa do Catar) e um presidente visionário, estrategista, Mr Wayne Forde, que pensa grande, quem sabe em breve não faremos parte da Conmebol, já que a Guyana está situada geograficamente na América do Sul", comentou Marcio Maximo.

Hoje, dois técnicos brasileiros dirigem Seleções na América Central. Além de Marcio Maximo, outro brasileiro recém chegado é Léo Neiva, que assumiu a Seleção de São Cristóvão e Névis para disputa da Eliminatórias Concacaf da Copa do Mundo do Qatar.