Futebol de Campinas fecha 2019 com lucro em 12 de 53 jogos oficiais nas bilheterias

Guarani e Ponte Preta saíram no azul com a venda de ingressos em seis partidas cada

por Lucas Rossafa

Campinas, SP, 31 (AFI) - Seja com Ponte Preta ou Guarani, o futebol de Campinas teve, em 2019, um ano para ser esquecido.

Desmandos administrativos, com renúncia dos dois presidentes, salários atrasados, trocas no comando técnico, eliminações vexatórias na Copa do Brasil e desempenho aquém do esperado na Série B do Campeonato Brasileiro.

Se dentro das quatro linhas o desempenho foi frustrante, o que dizer do 'aproveitamento' quando o assunto é bilheteria? Ainda pior.

Guarani e Ponte decepcionaram na venda de ingressos em 2019 - David Oliveira / Guarani FC
Guarani e Ponte decepcionaram na venda de ingressos em 2019

Em levantamento feito pela reportagem do Portal Futebol Interior, a cidade foi sede de 53 jogos oficiais em 2019, sendo 27 no Estádio Moisés Lucarelli e 26 no Estádio Brinco de Ouro da Princesa, mas só houve lucro na venda de ingressos em 12 deles, sendo seis para cada clube.

Dos superávits, três foram em dérbis, quando a procura do torcedor é substancialmente maior. Fora isso, a melhor renda líquida foi quando o Corinthians visitou o Guarani, no fim de janeiro - na ocasião, embolsou R$ 104.500,12.

PRETO E BRANCO

A Ponte fecha o ano com lucro em apenas 22,2% dos compromissos como mandante - as bilheterias só cobriram a conta nos duelos contra Oeste, Mirassol, São Paulo, Guarani (2) e Botafogo-SP.

A maior receita foi registrada no Dérbi 193, realizado na segunda quinzena de março, no Majestoso (R$ 204.056,48).

VERDE E BRANCO

O Guarani, por sua vez, só não 'pagou para jogar' em 23% das vezes em que atuou ao lado do seu torcedor.

Em solo campineiro, tirou grana das bilheterias nos duelos contra Corinthians, Oeste (2), Botafogo-SP (2) e Ponte Preta.