Feminino: Campeãs do mundo no desfilam em NY e lei de igualdade salarial é ampliada

Os Estados Unidos conquistaram o título mundial com uma vitória por 2 a 0 sobre a Holanda, na final

por Agência Estado

Campinas, SP, 10 (AFI) - O desfile da seleção norte-americana feminina de futebol, que se sagrou campeã mundial pela quarta vez, domingo, em Lyon, na França, reuniu milhares de pessoas nesta quarta-feira, em Nova York. Os Estados Unidos conquistaram o título com uma vitória sobre a Holanda por 2 a 0 na decisão da competição, na qual o triunfo das jogadoras da equipe nacional ajudou a transformá-las em ícones da luta pelos direitos das mulheres no país.

No mesmo dia do desfile em carro aberto, o Estado de Nova York confirmou a ampliação de uma lei estadual que proíbe a discriminação salarial por motivos de gênero, o que torna ilegal pagar menos a alguém com base em fatores como raça, religião ou identidade de gênero. Esta lei também altera um padrão legal de equidade salarial para tornar mais fácil para que funcionários de uma empresa provem, em um tribunal, que foram vítimas de discriminação em um determinado emprego.

O governador do Estado de Nova York, Andrew Cuomo, decretou as mudanças nesta lei nesta quarta-feira em Manhattan, pouco antes de se juntar à equipe feminina de futebol do país no desfile que passou pela Broadway, no distrito financeiro da Nova York. Cuomo disse que apoia as jogadoras em sua luta para que seus salários sejam iguais aos dos homens.

Andrea Stewart-Cousins, líder democrata estadual no Senado, disse que "o salário mais baixo do time feminino destaca um problema econômico fundamental que as mulheres enfrentam na sociedade".

E a seleção norte-americana conquistou o tetracampeonato mundial depois de 28 jogadoras da equipe nacional terem entrado, em março passado, com uma ação civil de discriminação de gênero contra a US Soccer, entidade que controla as seleções dos EUA, pedindo por remuneração igual à paga aos jogadores do time masculino do país.

A seleção feminina dos Estados Unidos soma quatro títulos mundiais e presença em todas as semifinais nas oito edições da competição. Nos Jogos Olímpicos, as norte-americanas somam quatro medalhas de ouro e uma de prata.