ESPECIAL COPA DO BRASIL: Cruzeiro empata com Grêmio como o maior campeão

A Raposa superou todas as dúvidas, foi comendo quieto e acabou com a taça em cima do Flamengo

por Agência Futebol Interior

Belo Horizonte, MG, 24 (AFI) – Sem classificar para a Copa Libertadores da América e com um elenco apontado apenas como modesto, o Cruzeiro surpreendeu muita gente ao se tornar o maior campeão da Copa do Brasil, ao lado do Grêmio, com cinco conquistas. E o título veio com todos os méritos, do começo ao fim!

Pois é, a trajetória do Cruzeiro não foi nada fácil. A Raposa, no melhor estilo mineiro, foi comendo quieto, dando um passo de cada vez, até chegar na decisão diante do Flamengo. O Mengão fez altos investimentos, trouxe jogadores como Everton Ribeiro, Conca e Diego Alves, mas ficou apenas com uma coleção de vice-campeonatos.

O Cruzeiro não! Sob a batata de Thiago Neves dentro de campo e a de Mano Menezes fora dele, mostrou ser um time completamente organizado, com um estilo de jogo definido e pronto para superar qualquer rival. O Flamengo que o diga.

O COMEÇO!
O Cruzeiro iniciou a Copa do Brasil diante do Volta Redonda e saiu de campo classificado com uma vitória por 2 a 1. A Raposa fez uma partida convincente e quebrou, na época, uma marca da equipe adversária, que não perdia no Raulino de Oliveira há dez meses. Os gols foram marcados por Alisson e Robinho.

Cruzeiro é campeão da Copa do Brasil 2017
Cruzeiro é campeão da Copa do Brasil 2017

A segunda fase foi ainda mais tranqüila. O Cruzeiro não tomou conhecimento do São Francisco-PA e o goleou por 6 a 0, mostrando um pouco da força que estava por vir.Na fase seguinte, outro show, desta vez, 5 a 0, no Murici-AL.

A partir daí, só pedreira. O Cruzeiro pegou logo o São Paulo na Quarta Fase, mas não se intimidou e venceu em pleno Morumbi por 2 a 0, gols de Lucas Pratto, contra, e Hudson. Nem a derrota por 2 a 1 no Mineirão, fez com que o clube celeste fosse eliminado do torneio.

COM OS GRANDES!
Ao lado dos clubes que estavam disputando a Libertadores, o Cruzeiro caiu nas oitavas de final diante da Chapecoense. E o duelo teve inúmeras polêmicas. Após vitória por 1 a 0 no Mineirão, a Raposa segurou um empate sem gols na Arena Condá. No entanto, o Verdão teve dois gols anulados pelo árbitro Péricles Bassols e não engoliu até hoje a eliminação.

Após o apito final, houve uma confusão entre jogadores de ambas as equipes. As câmeras flagraram o lateral Diogo Barbosa atirando um copo de água na direção de Vagner Mancini, que até então dirigia a Chapecoense.

Espaço incorporado por HTML (embed)

Passado os ânimos, o Cruzeiro encontrou o Palmeiras nas quartas de final. A Raposa foi até São Paulo e abriu 3 a 0, em pleno Allianz Parque, mas o Verdão reagiu, empatou o jogo e saiu festejando o resultado obtido.

No Mineirão, o Palmeiras controlou o jogo e vencia até aos 40 minutos do segundo tempo, quando Diogo Babosa, contratado pelo time paulista para a temporada 2018, subiu de cabeça para deixar 1 a 1 e colocar o Cruzeiro na próxima fase. O jogo novamente acabou em confusão, que culminou com o afastamento de Felipe Mel.

RETA FINAL
Na semifinal, um reencontro. Cruzeiro e Grêmio fizeram a reedição da final da Copa do Brasil de 2016. A Raposa acabou se vingando ao vencer nos pênaltis. Edílson e Everton chutaram na trave, enquanto Luan parou na defesa de Fábio.Murilo e Robinho também erraram para a Raposa, mas Rafael Sóbis, Raniel e Thiago Neves selaram a classificação.

Espaço incorporado por HTML (embed)

A final acabou em mais uma disputa por pênaltis. No primeiro jogo, o Flamengo abriu 1 a 0, com Paquetá, mas Arrascaeta deixou tudo igual, numa falha do goleiro Thiago. No Mineirão, um jogo truncado, com poucas chances, com um 0 a 0 justo no placar.

Nas penalidades máximas, Alex Muralha saiu como vilão após pular as cinco cobranças para o mesmo lado e não defender uma sequer. Já Fábio segurou bem o pênalti de Diego, principal destaque do Mengão, para ficar com o título da Copa do Brasil.

O Cruzeiro, agora, tem cinco taças no currículo – 1993, 1996, 2000, 2003 e 2017 -, empatado com o Grêmio. Logo atrás vem: Flamengo, Corinthians e Palmeiras, cada um com três.

 
 
" />