ESPECIAL SÉRIE D: Brusque-SC entra em seleta lista de campeões; Ituano sobe

Ao lado deles, outras duas equipes fizeram bonito e também conquistaram o acesso: Manaus-AM e Jacuipense-BA

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 25 (AFI) - Em meio ao ano ruim dos times catarinenses, um time conseguiu se salvar no estado: o Brusque, que entrou para a seleta lista de quatro times de Santa Catarina que são campeões nacionais. Depois de muita emoção e grandes jogos, a equipe conseguiu chegar ao título inédito da Série D do Campeonato Brasileiro da temporada 2019. Ao lado dele subiram para a Série C de 2020: Manaus-AM, Ituano-SP e Jacuipense-BA.

Assim, o sul do país conseguiu retornar a 'briga' pela região com mais títulos da Série D em 11 edições disputadas até o momento. Com a taça de 2019, o Sul tem dois títulos, o Nordeste segue na liderança ao lado do Sudeste com quatro, enquanto o Norte tem um e o Centro-Oeste ainda não faturou títulos.

Depois de dois empates por 2 a 2, o Brusque levou a melhor nos pênaltis contra o Manaus
Depois de dois empates por 2 a 2, o Brusque levou a melhor nos pênaltis contra o Manaus
CAMPANHA ATÉ O TITULO
Na primeira fase, o Brusque liderou o Grupo A15, com 15 pontos, o mesmo do Boavista-RJ. Na sequência, fez embate ‘caseiro’ com o Hercílio Luz-SC e avançou com 2 a 0 no placar agregado. Nas oitavas, em novo encontro com os cariocas, vaga com o 4 a 1 no somatório.

No jogo de ida, ambas as equipes ficaram no empate por 2 a 2 em Santa Catarina
No jogo de ida, ambas as equipes ficaram no empate por 2 a 2 em Santa Catarina
O acesso veio com outro 4 a 1, dessa vez sobre o Juazeirense-BA. Depois, na semifinal, 4 a 3 nos pênaltis sobre o Ituano-SP depois de uma vitória por 2 a 0 para cada lado. Do outro lado das semifinais, Jacuipense-BA e Manaus também fizeram dois grandes jogos. Após ficarem no empate por 1 a 1 no jogo de ida disputado na Bahia, o time do norte conseguiu fazer jus ao fator casa, embalado por uma Arena Amazônia lotada, para vencer por 1 a 0 e ficar com a passagem para a grande decisão.

JOGOS FINAIS
No primeiro jogo da grande decisão, Brusque-SC e Manaus-AM fizeram uma partida movimentada no Estádio Augusto Bauer em Santa Catarina e empataram em 2 a 2. No primeiro tempo, com maior posse de bola, o Brusque dominou as ações, mas viu os visitantes bem postados no campo defensivo. Enquanto isso, a equipe manauara apostava em contra-ataques, mas sem sucesso.

Waguinho Dias ajudou demais o Brusque-SC a chegar ao tão sonhado título
Waguinho Dias ajudou demais o Brusque-SC a chegar ao tão sonhado título
Na volta do intervalo, o Brusque foi avassalador no início e abriu dois gols de vantagem em menos de dez minutos. Aos três, Romarinho mandou uma bomba de fora da área, e Jonathan deu rebote. Pirambu aproveitou e marcou o gol. Depois, aos nove, Zé Mateus carregou a bola pela intermediária e chutou de canhota para fazer 2 a 0. O Manaus descontou aos 17, com Rossini, que recebeu cruzamento na medida de Derlan e subiu livre para fazer 2 a 1. O gol deixou o Gavião motivado, que empatou após Igor cruzar na medida para Rossini empatar e dar números finais à primeira partida.

No jogo de volta, o capítulo final competição teve casa cheia, quatro gols no tempo normal, disputa de pênaltis e festa catarinense na Arena da Amazônia. Tanto que novamente as duas equipes ficaram no empate por 2 a 2 no tempo regulamentar. E nas penalidades, o Brusque foi perfeito e, com 100% de aproveitamento, conquistaram o título com uma vitória por 6 a 5. Thiago Alagoano, Airton, Thiago Henriques, Gama, Vinícius e Zé Carlos estufaram as redes e garantiram o título para os catarinenses.

Os dois maiores públicos da competição foram na Arena Amazônia, ambos com mais de 30 mil pessoas
Os dois maiores públicos da competição foram na Arena Amazônia, ambos com mais de 30 mil pessoas
MÉDIA DE PÚBLICO É DESTAQUE POSITIVO
Ainda falando no segundo jogo da final que levou 36.215 pessoas até a Arena Amazônia - um recorde na competição nacional em 2019-, um destaque positivo foi a média de público na reta final da competição, embalado pela torcida de Manaus, América-RN e Brusque, que juntos garantiram os dez maiores públicos da Série D. Nas quartas de final, a equipe manauara também fez bonito contra o Caxias e colocou 31.369 pessoas no estádio.

NOVO FORMATO PARA 2020
Apesar do sucesso de 2019, no próximo ano, a Quarta Divisão será maior e teve o número de datas ampliadas pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF). O início da Série D de 2020 está previsto para o fim de semana de 2 ou 3 de maio, com a final em 22 de novembro.

Para ampliar a competição no calendário, a CBF anunciou uma mudança na fórmula de disputa, que terá uma fase preliminar com oito clubes. Comporão a fase preliminar os times ques tiverem obtido a última vaga dos oito Estados piores colocados no Ranking Nacional de Federações de 2020.

Apesar do Brusque ter sido campeão, o Nordeste segue como maior vencedor ao lado do Sudeste, com quatro títulos
Apesar do Brusque ter sido campeão, o Nordeste segue como maior vencedor ao lado do Sudeste, com quatro títulos
Assim, a fase de grupos da Série D contará com 64 times (e não 68 como nos últimos anos). Eles serão divididos em oito chaves, com oito times em cada, com jogos de ida e volta. A CBF até o momento não divulgou as chaves.

Os quatro melhores de cada grupo se classificam para a segunda fase, totalizando 32 equipes. Estes se enfrentam em duelos eliminatórios até a definição do campeão e do acesso à Série C de 2021: oitavas, quartas, semifinais e final.