Série D: Aparecidense é punida pelo STJD por injúria racial contra goleiro adversário

O time goiano fou punido com multa de R$ 50 mil e perda de um mando de campo pelo crime contra o goleiro Deijair, do Juazeirense

por Agência Futebol Interior

Rio de Janeiro, RJ, 15 (AFI) - A partida entre Aparecidense e Juazeirense, na longingua terceira rodada da primeira fase da Série D do Campeonato Brasileiro, ainda está dando o que falar. Isso porque na tarde desta segunda-feira (15), o STJD puniu o time goiano com multa de R$ 50 mil e perda de um mando de campo pela injúria racial cometida por torcedores contra o goleiro Deijair.

O episódio na partida realizada no dia 18 de maio. Deijair, goleiro do Juazeirense, disse para a arbitragem ter sido chamado de 'macaco e macaco fedorento' por torcedores da Aparecidense. Na súmula a arbitragem narrou o fato e informou ainda que Deijair chutou o alambrado tentando agredir um torcedor e o arremesso de um copo com líquido no campo. O fato ocorreu aos 42 minutos do segundo tempo e gerou a paralisação da partida por seis minutos. A arbitragem informou ainda que precisou chamar o policiamento para conter o tumulto gerado.

Aparecidense é punida pelo STJD por injúria racial contra goleiro de time adversário da Série D
Aparecidense é punida pelo STJD por injúria racial contra goleiro de time adversário da Série D
Por conta do jogo arremeçado no campo, a Aparecidense também foi punida com um multa de R$ 10 mil e perda de um mando de campo. Do outro lado, denunciado por chutar o alambrado, Deijair foi absolvido, de forma unianime pelo júri. Ele não participou do julgamente, mas falou via vídeo conferência. Deijair narrou o acontecido e explicou que estava no banco de reservas quando ouviu os xingamentos.

De acordo com o goleiro do Juazeirense, um dos infratores foi identificado como pai de um jogador da Aparecidense. Deijair afirmou ainda que, após a partida, prestou queixa na delegacia e foi orientado que o caso iria levar horas e não daria em nada. O atleta confessou ainda que ao retornar para sua cidade o registro na delegacia local e que nunca tinha passado por uma situação parecida.