ESPECIAL SÉRIE C: CSA faz a festa e São Bento salva os paulistas

Os dois conquistaram o acesso para a segunda divisão de 2018 ao lado de Fortaleza e Sampaio Corrêa

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 24 (AFI) – Com muitas equipes tradicionais, a Série C do Campeonato Brasileiro teve uma de suas edições mais competitivas em 2017. Uma competição com gigantes do futebol nacional e surpresas que movimentou todo o país.

No final, a festa foi grande no Nordeste, com Fortaleza, Sampaio Corrêa e CSA garantindo o acesso à Série B ao lado do São Bento. O CSA foi além e ainda conquistou o título, a primeira conquista nacional de sua história.

DECEPÇÃO PAULISTA
Tudo começou na primeira fase, quando as 20 equipes foram dividas em dois grupos. Como de costume, o Grupo era composto por equipes das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste enquanto o Grupo B contava com os times das regiões Sul e Sudeste.

O CSA foi o grande campeão da Série C de 2017
O CSA foi o grande campeão da Série C de 2017
Além do São Bento, que fez grande campanha, culminando com o acesso, o estado de São Paulo tinha ainda Botafogo, Bragantino e Mogi Mirim como representantes. No entanto, nenhum deles conseguiu se classificar para a segunda fase.

O Botafogo foi o que ficou mais próximo de avançar de fase, terminando a participação na sexta posição, enquanto Bragantino escapou do rebaixamento por pouco, ficando em oitavo, e o Mogi Mirim foi o lanterna do grupo, sendo rebaixado ao lado do Macaé.

GIGANTES FICAM PELO CAMINHO
No Grupo A, os dois lanternas foram Moto Club e ASA e a dupla terá de disputar a Série D em 2018. A disputa foi equilibrada com grandes equipes como Remo e Botafogo-PB ficando de fora da segunda fase, assim como Cuiabá e Salgueiro.

Único paulista a avançar da primeira fase, o São Bento garantiu o acesso
Único paulista a avançar da primeira fase, o São Bento garantiu o acesso
Com campanha sólida, o Sampaio Corrêa foi o líder da chave, seguido por CSA, Fortaleza e Confiança. Dos quatro classificados do Grupo, apenas o Confiança terminaria sem o acesso para a segunda divisão nacional, na vaga que acabou com o Bentão, líder do Grupo B na primeira fase.

HEGEMONIA DO GRUPO A
Nas quartas de final foi possível perceber a hegemonia das equipes do Grupo A. Nos quatro confrontos valendo o acesso, Tupi, Volta Redonda e Tombense ficaram pelo caminho.

Com grandes público e estádios lotados, prevaleceram Fortaleza, Sampaio Corrêa, São Bento e CSA, que formaram na sequência a semifinal. Com o acesso garantido e muita festa da torcida, o objetivo agora era o título, mas com a consciência mais tranquila e o sentimento de dever cumprido.

SEMIFINAIS ELETRIZANTES
As semifinais foram marcadas por muito equilíbrio, provando que os quatro times que chegaram até lá eram dignos da conquista de uma vaga na próxima Série B.

Em um embate nordestino, Fortaleza e Sampaio Corrêa começaram a disputar uma vaga na final com vitória dos cearenses por 1 a 0 no Castelão, em Fortaleza (CE). No jogo de volta, no estádio de mesmo nome em São Luís (MA), o Leão buscou um empate por 2 a 2 e garantiu presença na decisão.

Fortaleza e Sampaio Corrêa fizeram semifinal inesquecível
Fortaleza e Sampaio Corrêa fizeram semifinal inesquecível
O outro confronto, entre São Bento e CSA, teve uma vitória para cada lado, mas as duas fora de casa. Primeiro, os alagoanos surpreenderam o Bentão com vitória por 1 a 0 no Walter Ribeiro, em Sorocaba (SP). Na volta, o time paulista devolveu o resultado no Rei Pelé, em Maceió (AL), mas foi derrotado na única disputa por pênaltis de toda a competição.

AZULÃO É CAMPEÃO
A grande decisão, entre CSA e Fortaleza, contou com dois grandes públicos novamente. No jogo de ida, com mais de 44 mil pessoas lotando o Castelão, o time visitante surpreendeu os cearenses e venceu por 2 a 1.

Na volta, foi a vez do Rei Pelé ficar lotado para a torcida acompanhar o empate sem gols que garantiu o título do Azulão de Maceió.

Ao longo de seus 104 anos de história, o time alagoano já tinha sido vice-campeão da Série B em 1980, 1982 e 1983, além de vice da Série D em, 2016, mas pela primeira vez pôde comemorar um título nacional.

O Fortaleza também não tem nenhum título nacional e bateu na trave novamente. O Leão já tinha sido vice da Série A em 1960 e 1968, e da Série B em 2002 e 2004.

 
 
" />