Chapecoense 1 x 1 Vitória - Chape desperdiça chance de assumir liderança da Série B

Se vencesse por dois gols de diferença, o time catarinense se igualaria ao Cuiabá com 32 pontos e teria vantagem no saldo de gols.

por Agência Futebol Interior

Chapecó, SC, 17 (AFI) - A Chapecoense desperdiçou uma boa chance de assumir a liderança isolada do Campeonato Brasileiro da Série B ao empatar por 1 a 1 com o Vitoria, neste sábado à tarde, na Arena Condá, pela 16.ª rodada. Se vencesse por dois gols de diferença, o time catarinense se igualaria ao Cuiabá com 32 pontos e teria vantagem no saldo de gols. Mas o time catarinense tem um jogo a menos: 15 a 16.

Mas com o empate, restou à Chapecoense se contentar em continuar como vice-líder com 30 pontos, um na frente do América-MG, com 29, e três na frente da Ponte Preta, com 27, fechando o G4 – zona de acesso. O Vitória, que vinha de duas derrotas, voltou a pontuar e atingiu os 19 pontos, em posição intermediária.

VEJA OS GOLS NA ARENA CONDÁ

ESCALADO NA FRENTE
Mesmo escalado com praticamente quatro atacantes, a Chapecoense não conseguiu impor a sua tradicional pressão inicial em cima do Vitória. O time baiano se posicionou bem em campo, bloqueando o meio-campo e não correndo tantos riscos na defesa.

Mas valeu a qualidade de passe de Anselmo Ramon, que da intermediária fez o lançamento perfeito para Paulinho Moccelin. Ele pegou a bola já no lado esquerdo da área, ajeitou de direita e chutou rasteiro de perna esquerda. A bola entrou entre a trave e o goleiro Ronaldo aos 23 minutos.

O Vitória demorou para ameaçar na frente. Ewandro chutou pra fora de voleio e depois Alisson Farias cabeceou forte e o goleiro João Ricardo saltou para mandar a escanteio aos 45 minutos.

Moccelin marcou pela Chapecoense em casa
Moccelin marcou pela Chapecoense em casa

MUDANÇA DE POSICIONAMENTO
No segundo tempo o time baiano voltou mais adiantando e a Chapecoense aceitou a mudança para tentar explorar os contra-ataques. Poderia ter liquidado a fatura aos oito minutos, quando Moccelin invadiu a área pelo lado esquerdo e chutou cruzado. A bola passou perto da trave esquerda de Ronaldo.

Aos 15 minutos, Juninho Quixadá foi derrubado na área por Felipe Garcia, que cometeu pênalti para o Vitória. Na cobrança, Thiago Carleto deslocou o goleiro João Ricardo, que caiu do lado direito e a bola entrou no canto esquerdo aos 16 minutos.

Em 11 jogos é o primeiro gol sofrido pelo time catarinense em casa sob comando de Umberto Louzer. Depois do inesperado empate, o técnico apressou duas trocas. Vini Locatelli e Lucas Tocantins entraram, respectivamente, nos lugares de Aylon e Felipe Garcia. Mas, nesta altura, o Vitória dominava as ações em campo.

MAIS ATIVO
Aos 32 minutos, quase que o time baiano vira o placar. Léo Ceará invadiu a área, driblou o goleiro João Ricardo, mas ficou sem ângulo e ao chutar sem ângulo, acabou errando. A bola tocou na rede pelo lateral.

Quatro minutos depois, outra chance do visitante. Thiago Carleto cobrou falta com força, João Ricardo deu rebote e Rafael Carioca chutou para a defesa firme do goleiro catarinense. O Vitória terminou o jogo com mais disposição ofensiva, mas sem conseguir a virada.

PRÓXIMOS JOGOS
Pela 17.ª rodada, a Chapecoense vai enfrentar a Ponte Preta, na próxima terça-feira, às 21h30, em Campinas (SP). O Vitória vai receber o Guarani, na quinta-feira, às 21h30, no Barradão.

Ficha Técnica

Fase
Única
Rodada
16ª rodada
Data
17/10/2020
Horário
16h00
Local
Arena Condá - Chapecó (SC)
Árbitro
Alexandre Vargas Tavares de Jesus (RJ)

Assistentes
Diogo Carvalho Silva (RJ) e Daniel de Oliveira Alves Pereira (RJ)

Cartões Amarelos
Chapecoense-SC: Anselmo Ramon, Busanello
Vitória-BA: Mauricio Ramos

Gols
Chapecoense-SC: Paulinho Moccelin 23' 1T
Vitória-BA: Thiago Carleto 16' 2T
Chapecoense-SC
João Ricardo;
Guedes, Joilson, Luiz Otávio e Busanello;
Willian Oliveira, Evandro (Lima) e Aylon (Vini Locatelli);
Paulinho Moccelin (Régis), Anselmo Ramon e Felipe Garcia (Lucas Tocantins).
Técnico: Umberto Louzer
Vitória-BA
Ronaldo;
Leandro Silva, João Victor, Maurício Ramos e Thiago Carleto;
Guilherme Rend (Gabriel Furtado), Marcelinho (Juninho Quixadá), Gerson Magrão (Lucas Cândido) e Alisson Farias (Rafael Carioca);
Ewandro (Vico) e Léo Ceará.
Técnico: Eduardo Barroca