Para auxiliar do Rio Preto, Cilinho era diferente ao se comunicar com os jogadores

Ex-volante fala com emoção da passagem que teve com Cilinho no São Paulo e de sua viagem para a Itália e visita ao Vaticano

por Agência Futebol Interior

São José do Rio Preto, SP, 29 (AFI) - Ex-volante de Botafogo-SP, Ponte Preta, Palmeiras e São Paulo José Mário Crispim, o Zé Mário, teve a oportunidade de trabalhar com o técnico Cilinho no São Paulo, na década de 80 - quando o técnico foi bicampeão - já tinha vencido em 1985 com os 'Menudos do Morumbi' e depois levantou o título paulista de 1987.

Cilinho puxou fila para cumprimentar Papa João Paulo II
Cilinho puxou fila para cumprimentar Papa João Paulo II

COMUNICADOR DIFERENTE

Para ele, Cilinho era diferente.

"Era um técnico que sabia o que falava, demonstrava o que queria de maneira clara e tinha uma inteligência acima da média. Não é à toa que ele promoveu revoluções no futebol brasileiro e deveria ter sido mais reconhecido" - comentou Zé Mário, agora formando a comissão técnica do Rio Preto, que vai disputar o Paulista da Série A3 em 2020.

Estas palavras são de alguém que não foi titular absoluto sob o comando do técnico durante sua passagem pelo Morumbi, mas que teve oportunidade de fazer uma viagem inédita para Roma, em 1983, na despedida de Falcão, em Roma. dois anos depois, coincidentemente, Falcão foi contratado pelo São Paulo.

VELÓRIO E ENTERRO
O velório será realizado no Salão Nobre (Pedro Pinheiro) do estádio Moisés Lucarelli a partir das 23 horas desta quinta-feira até 14h30 de sexta-feira. O velório será aberto ao público e imprensa somente amanhã a partir das 7 horas.

O enterro está confirmado para o Cemitério da Saudade, na sexta-feira, às 15 horas.