Atlético-MG arrecada R$ 19 mi e ganha 24 mil novos sócios com venda de camisas

Camisa foi desenhada pelo designer e torcedor Flávio Markiewicz, tendo vencido o concurso com mais de 1.500 modelos

por Agência Estado

Belo Horizonte, MG, 03 (AFI) - Ao mesmo tempo em que busca reforços para a retomada das competições, o Atlético-MG, conseguiu, nas últimas semanas, realizar uma ação que movimentou o seu torcedor e arrecadou quase R$ 20 milhões.

O clube vendeu pouco mais de 100 mil modelos do "Manto da Massa", o terceiro uniforme, que teve os seus traços e características definidos através de um concurso, sendo escolhido através do voto dos torcedores.

"Foram vendidas 24 mil camisas nas 24 primeiras horas e terminamos com uma média de sete camisas vendidas por minuto", relata o presidente Sérgio Sette Câmara.

Força do sócio-torcedor. (Foto: Divulgação)
Força do sócio-torcedor. (Foto: Divulgação)
MILHÕES NA CONTA!
O valor obtido com o produto - R$ 19.316.053,99 - não ficará somente com o clube, pois parcela relevante será repassada para ações de combate ao coronavírus. Além disso, há custos de produção e envio dos uniformes, além dos valores investidos na campanha de divulgação da iniciativa.

Mas mais do que vender camisas e obter receitas, a ação teve outra motivação: ampliar as adesões ao Galo na Veia, o sócio-torcedor do clube. O programa havia sido reformulado em março, com o Atlético, inclusive, anunciando que passaria a realizar a maior parte dos seus jogos no Mineirão, para atrair mais torcedores.

E acabou por sofrer um baque com a pausa do futebol. Agora, com a ação o clube conseguiu cerca de 24 mil novas adesões, passando a contar com 44 mil sócios efetivos. Além disso, a iniciativa permitiu ao Atlético-MG traçar o perfil de uma parcela relevante da sua torcida, a partir dos dados disponibilizados no momento da compra.

SÓCIO-TORCEDOR!
"Mais do que financeiramente, o objetivo era buscar o sócio-torcedor. E conseguir o sócio com a perenidade para ajudar com as receitas do clube é até mais importante. Nos ajuda a ter uma receita anual", afirmou Sette Câmara.

O novo uniforme será usado pela equipe em, pelo menos, um jogo oficial. A camisa foi desenhada pelo designer e torcedor Flávio Markiewicz, tendo vencido o concurso para o qual foram enviados mais de 1.500 projetos. Desses, 13 participaram da votação popular, que teve a participação de mais de 50 mil pessoas.

E Sette Câmara indica a possibilidade de que a ação se torne anual, diante dos bons resultados obtidos em 2020.

"A ideia é ser parte do calendário oficial do Atlético. É claro que o time precisa responder dentro de campo. Poderemos criar uma meta de um desafio até maior para o torcedor", concluiu o presidente do Atlético-MG.