CBF cria constrangimentos aos trabalhos dos cronistas esportivos em Recife. Confira!

Situação foi denunciada pelo presidente da ACDP (Associação dos Cronistas Desportivos de Pernambuco), André Luiz Cabral

por Agência Futebol Interior

Recife, PE, 09 (AFI) - A CBF (Confederação Brasileira de Futebol) está aproveitando a pandemia da COVID-19 para constranger e restringir o trabalho da crônica esportiva brasileira através de protocolos estranhos e da colocação de seguranças para tutelar o trabalho da imprensa nos jogos do Campeonato Brasileiro.

Na partida desse sábado entre Sport-PE e Ceará-CE, em Recife, profissionais da imprensa tiveram dificuldades e passaram por privações que foram denunciadas pelo presidente da ACDP (Associação dos Cronistas Desportivos de Pernambuco), André Luiz Cabral:

"Acredito que os abusos que aconteceram no estádio da Ilha do Retiro também possam ter acontecido em outros lugares. Os cronistas esportivas foram constrangidos e coagidos por alguns trogloditas que vieram indicados pela CBF com ameaça em cima dos cronistas que estivam trabalhando", diz André Luiz, completando:

"Sabemos da necessidade do uso de máscara, mas tivemos relato de companheiros que tiveram dificuldades até mesmo de fazer o lanche. Esses trogloditas da CBF obrigaram os cronistas a subirem de escada, mesmo com os elevadores funcionando e isso foi ato exclusivo da CBF e não da Federação Pernambucana de Futebol", denuncia André Luiz.

 André Luiz, presidente da ACDP
André Luiz, presidente da ACDP

ACDP TEM LUTADO ATÉ JUDICIALMENTE CONTRA ABUSOS DAS ENTIDADES
Combativa nos interesses da crônica esportiva, a ACDP já tem uma ação judicial em que não aceita que os cronistas esportivos tenham trabalho restrito, nem que aja distinção entre esses profissionais.

"Não existe e não pode existir cronista esportivo de primeira, segunda ou terceira categoria. Além disso não pode, o cronista, ser punido pela CBF ou de qualquer Federação e se houver qualquer abuso a recomendação é que o cronista vá a uma Delegacia de Polícia e faça uma ocorrência policial, prestando queixa por constrangimento pois está sendo impedido de exercer o seu trabalho", orienta André Luiz.

CREDENCIAMENTO DE IMPRENSA SOMENTE PODE SER FEITO PELA ASSOCIAÇÃO DE CRONISTA
Pela legislação vigente (Lei 9.615/98), o credenciamento do cronista esportivo é exclusividade legal da associações de cronistas esportivos e não das federações ou CBF, que pode - no máximo - fazer o cadastro do profissional que irá trabalhar.

Aproveitando a fase da pandemia, a CBF fez um protocolo claramente com o objetivo de prejudicar o trabalho da imprensa esportiva chegando ao cúmulo de vetar a presença de radialistas nas cabines de imprensa e determinando que as transmissões de rádio fossem feitas das arquibancadas.

A ABRACE (Associação Brasileira de Cronistas Esportivos), através de seu presidente Kleiber Beltrão, junto com as entidades de cronistas estaduais, intercederam para que isso fosse modificado e vem exigindo uma reunião com o presidente da CBF, Rogério Caboclo.