Instalação do Grupo de Trabalho para Desenvolvimento da Várzea acontece no Pacaembu

Dentre os objetivos principais está o tombamento dos campos e o debate e sugestão de políticas públicas

por Agência Futebol Interior

São Paulo, SP, 15 (AFI) - Acontece, nesta terça-feira, a partir das 10 horas, no auditório do Museu do Futebol, dentro do Estádio do Pacaembu, em São Paulo-SP, a reunião de instalação do grupo de trabalho destinado ao estudo de ações e à identificação de medidas que visem a valorização e proteção sociocultural do futebol de várzea. O evento é aberto ao público.

Dentre os objetivos principais está o tombamento dos campos de várzea e o debate e sugestão de políticas públicas que busquem preservar o espaço utilizado e formas de cooperação com os municípios e instituições privadas como forma de incentivo e expansão da modalidade.

O GRUPO
O futebol de várzea ganhou um aliado em São Paulo. O Governo do Estado instituiu, por decreto, junto à Casa Civil, o grupo de trabalho destinado ao estudo de ações e à identificação de medidas que visem a valorização e proteção sociocultural da modalidade. Ele será formado, inicialmente, por membros da Casa Civil, Secretaria de Esporte, Lazer e Juventude, Secretaria de Cultura, Museu do Futebol, Secretaria de Desenvolvimento Social e convidados de órgãos, entidades públicas, sociedade civil e setor privado. Após 180 dias de trabalho, será apresentado relatório de conclusão.

Governador Márcio França é um entusiasta do grupo
Governador Márcio França é um entusiasta do grupo

SABIA?
Conta a história que, em 1885, Charles Miller organizou a primeira partida de futebol no Brasil, em um terreno no bairro do Brás, em São Paulo. O terreno, baixo, plano e alagável pelas cheias do rio Tamanduateí, conhecido como a “Várzea do Carmo”.

Desde o ato pioneiro daquele que trouxe o futebol para o Brasil, até hoje, o esporte cresceu, assim como os times de várzea. Segundo a Liga Paulistana de Futebol Amador, somente na capital de São Paulo existem aproximadamente 400 campos e 1.440 times registrados na entidade.

FONTE DE CRAQUES
Campeonatos famosos, como a Copa Kaiser e Desafio ao Galo, foram grandes reveladores de talentos para os clubes profissionais e seleção brasileira.

O secretário-chefe da Casa Civil, Aldo Rebelo, é um dos idealizadores do projeto
O secretário-chefe da Casa Civil, Aldo Rebelo, é um dos idealizadores do projeto

Elias (Atlético Mineiro), Ricardo Oliveira (Atlético Mineiro), Zé Roberto (ex-jogador da Seleção Brasileira), César Sampaio (ex-jogador da Seleção Brasileira), Seginho Chulapa (ex-jogador da Seleção Brasileira), Cafu (ex-jogador da Seleção Brasileira), Denílson (ex-jogador da Seleção Brasileira), Casagrande (ex-jogador da Seleção Brasileira), são alguns dos que saíram da várzea.

ALÉM DAS QUATROS LINHAS
E os jogadores não foram os únicos revelados pelos campeonatos. Narradores, comentaristas e repórteres esportivos saíram dos campos de “terrão” para as grandes emissoras de televisão e rádio do país. Nomes como: Fausto Silva “Faustão”, Tiago Leifert, Elias Skaf, Randal Juliano, Raul Tabajara, Joseval Peixoto, Samuel Ferro, Vital Bataglia e Adalberto Helena Júnior, também marcaram a várzea.

 
 
" />